in ,

Júnior Lima fala sobre exposição na mídia nos tempos da dupla com Sandy

Ao lado de Rafina Bastos, PC Siqueira e Cauê Moura, relembrou infância sob holofotes

Convidado para um vídeo no canal Ilha de Barbados, comandado por Rafina Bastos, PC Siqueira e Cauê Moura, Júnior Lima debateu privacidade e exposição, relembrando a sensação de ter crescido sob os holofotes. Ao lado da irmã Sandy, o filho de Xororó começou a carreira na música aos 6 anos e revelou que, muitas vezes, a fama foi “uma prisão”.

Falando sobre como foi crescer famoso, Júnior destacou a falta de privacidade e a necessidade de policiar falas e atitudes como uma das desvantagens da carreira de sucesso que desenvolveu ao lado de Sandy. “Descobriam meu número de telefone e vendiam. Tinha que mudar uma vez por mês”, contou aos youtubers. O estigma e as opiniões que o público formava sobre ele e a irmã, segundo o músico, foram também desvantagens da fama.

Segundo Júnior, a estrutura familiar e a orientação dos pais foi fundamental para que ele e Sandy evitassem polêmicas e as consequências negativas da exposição.

Hoje, Júnior segue as carreiras paralelas de produtor musical, youtuber, além de se dedicar a um projeto de música eletrônica, Manimal, ao lado do DJ Júlio Torres.

ferrell

Motorista dormiu: ator e humorista Will Ferrell é vítima em acidente de carro

leonardo filhos

Leonardo publica foto com todos os filhos e internet elogia ‘genética boa’