, ,


César Tralli homenageia sua irmã que morreu há alguns dias: ‘Saudade eterna’

‘Com a Gabi, aprendi a ser mais tolerante, mais amoroso, mais generoso, mais humilde, mais verdadeiro’, disse o jornalista em post no Instagram

Na última quinta-feira (12), César Tralli fez uma nova homenagem para sua irmã Gabriela, que morreu no dia 7 de abril aos 40 anos. Ele disse que ela, portadora da síndrome de Noonan, lhe ensinou muitas coisas.

“Saudade eterna. Ao longo de seus 40 anos, minha irmã me ensinou tanta coisa importante, lições que agora reverberam com mais intensidade dentro de mim. Com a Gabi, aprendi a ser mais tolerante, mais amoroso, mais generoso, mais humilde, mais sereno, mais resiliente, mais verdadeiro”, escreveu Tralli na legenda de uma foto dos dois publicada no Instagram.

“Gabi tinha muitos valores de vida. Essa é a maior herança que minha irmã deixa para todos nós. Ela foi de uma grandeza infinita dentro de todas as suas limitações”, concluiu, explicando que a foto foi tirada no dia de seu casamento com Ticiane Pinheiro, em dezembro do ano passado.

Saudade Eterna.❤️Ao longo dos seus 40 anos, minha irmã portadora da síndrome de Noonan me ensinou tanta coisa importante. Lições que agora reverberam com mais intensidade dentro de mim. Com a Gabi, aprendi a ser mais tolerante, mais amoroso, mais generoso, mais humilde, mais sereno, mais resiliente, mais verdadeiro. Ela estava sempre bem. Um cafezinho, uma pilha nova para seu inseparável radinho, uma simples volta no quarteirão…Era feliz com pouco. Gabi tinha muitos valores de vida. Essa é a maior herança que minha irmã deixa para todos nós. Ela foi de uma grandeza infinita dentro de todas as suas limitações. #tbt #GabrielaTralli ✝️07.04.18 (foto: no meu casamento com a Tici em dezembro passado.)

A post shared by Cesar Tralli (@cesartralli) on

MAIS
Salários: confira as 5 atrizes mais bem pagas nos últimos 12 meses
anitta-entrou-no-grupo

Anitta se retrata após ofender pessoas com hanseníase em seu programa

dado dolabella

Dado Dolabella publica texto sobre ‘injustiça’ em casos de pensão