in ,

Com bala alojada nas costas, vítima de atirador em Goiânia recebe alta

Médicos do Hospital de Urgências de Goiânia (Hugo) decidiram não remover projétil preso no corpo; adolescente de 13 anos não quer voltar para escola

Uma das seis vítimas do ataque a tiros no Colégio Goyases, em Goiânia, recebeu alta hospitalar na manhã do último domingo (22). O adolescente Hyago Marques, de 13 anos, saiu do Hospital de Urgências de Goiânia (Hugo) por volta das 8h. Marques foi baleado nas costas no atentado.

O empresário Thiago Barbosa Gomes, pai de Hyago, disse ao ‘Estado de S. Paulo’ que o jovem está andando, mas ainda sente um pouco de dor. O projétil ficou alojado nas costas do estudante e, segundo o pai, os médicos decidiram não remover. “Ficou a um centímetro para acertar a medula. Foi Deus”, conta.

A pedido de familiares, o hospital não fornece mais informações sobre as outras duas adolescentes, Marcela Rocha e Isadora de Morais, vítimas do atirador que continuam internadas no Hugo. Já Isadora Fleury foi levada ao Hospital dos Acidentados de Goiânia, mas a unidade informou que não pode passar informações sobre a paciente.

Hyago e outros cinco adolescentes foram atingidos dentro de sala de aula por um colega de 14 anos. Dois estudantes, João Vitor Gomes e João Pedro Calembo, de 13 anos, foram baleados na cabeça e morreram no local. Eles foram enterrados ontem, em Goiânia.

Medo de voltar à escola

O adolescente Hyago Marques, de 13 anos, disse ao pai, o empresário Thiago Barbosa Gomes, que não quer voltar para escola Goyases, em Goiânia, onde foi baleado por um colega de sala. “Ele está abalado e com muito medo”, afirmou.

Veja também:
80 anos de Mussum: vida, obra e morte do humorista que marcou uma geração

Hyago foi uma das vítimas do estudante de 14 anos que atirou contra colegas de sala, no 8º ano do ensino fundamental. João Vitor Gomes e João Pedro Calembo, de 13 anos, foram baleados na cabeça e morreram no local. Ambos foram enterrados ontem em Goiânia sob grande comoção de familiares e amigos. Outros quatro estudantes vítimas do atentado ficaram feridos, sendo que até o momento há confirmação de alta somente de Hyago.

Thiago Barbosa afirma que até o momento não pensou sobre as atitudes do adolescente apreendido por ter efetuado por disparos “Estou pensando na família dos que perderam”, disse. O pai afirma que ainda pretende conversar com o filho para ver qual a real relação que mantinha com o colega de classe.

Na noite do último sábado, 21 de outubro, a juíza plantonista Mônica Cézar Moreno Senhorello determinou a internação pelo prazo de 45 dias do adolescente que admitiu ter atirado contra colegas de classe no Colégio Goyases. A decisão da juíza atendeu ao pedido apresentado pelo Ministério Público do Estado de Goiás (MP-GO). O jovem deverá se apresentar ao Juizado da Infância e Juventude na segunda-feira (23) para prestar depoimento.

Juíza determina internação do jovem atirador de Goiânia

Comente com o Facebook
colégio goiânia tiroteio

Juíza determina internação do jovem atirador de Goiânia

doria zorra

‘Farinata’ de Doria vira piada no ‘Zorra’, da Globo; assista