in ,

Henry Borel: vídeo mostra mãe e Jairinho com menino desfalecido no elevador

Monique aparentava estar tranquila enquanto carregava o filho para o hospital na noite do assassinato

Fotos: Reprodução

Monique Medeiros e o ex-vereador Dr. Jairinho continuam participando do Tribunal do Júri, no Rio de Janeiro, que busca desvendar o que realmente aconteceu na madrugada do dia 8 de março, quando Henry Borel Medeiros morreu aos 4 anos de vida.

  • 3 LIVROS POR R$ 50!!! Inclusive quadrinhos em oferta, com descontos imperdíveis e opção de frete grátis. Clique aqui.

Nesta terça-feira (26), a polícia divulgou à imprensa um vídeo gravado pelo circuito interno de segurança do prédio, que mostra o casal descendo o elevador, na madrugada do crime.

Era por volta das 4h10 da manhã quando eles saíram para levar Henry ao hospital.

Veja também:
Caso Henry: mãe do menino tirou selfie e pediu pizza na hora de depor

A mãe do menino aparece com ele nos braços, mas aparentando estar tranquila. Dr. Jairinho se aproxima e coloca a boca sobre a boca de Henry, tentando fazer uma manobra de respiração boca a boca. Henry não se mexe e demonstra já estar desacordado nesse momento.

De acordo coma defesa de Jairinho, nesse minuto do vídeo, Henry ainda estava vivo e morreu depois, já no hospital. Entretanto, os médicos que atenderam o menino afirmaram que ele já chegou sem vida ao Barra D’Or.

A polícia acredita que Henry, de apenas 4 anos, já estava morto quando a mãe e o padrasto desceram pelo elevador e o levaram ao hospital.

Veja uma captura de tela do momento em que Dr. Jairinho faz respiração boca a boca em Henry, que está no colo da mãe e não esboça nenhuma reação:

Henry - elevador
Foto: Reprodução
  • 3 LIVROS POR R$ 50!!! Inclusive quadrinhos em oferta, com descontos imperdíveis e opção de frete grátis. Clique aqui.

Vídeo de Henry é discutido em audiência

“Esta filmagem revela que Henry foi levado com vida ao hospital, outras circunstâncias que constam dos laudos conduzem a esta conclusão, contrariando a versão acusatória“, afirmou ao portal ‘G1’ Braz Sant’anna, advogado de Jairinho.

Veja também:
Mãe de Isabella Nardoni se solidariza com pai de Henry por similaridade dos casos

Contudo, laudos da polícia afirmam que Henry tinha morrido duas horas antes disso.

“Ficou expressamente demonstrado pela equipe médica e pelos laudos periciais que, embora e tenha sido submetido a manobras de ressuscitação por bastante tempo, em nenhum momento ele apresentou frequência cardíaca. Ele já chegou morto, disse o delegado Henrique Damasceno.

O delegado afirmou, ainda, que a tentativa de socorro realizada pelo médico, Dr. Jairinho, não foi adequada“Você soprar a boca de uma criança no colo, desfalecida, não é o procedimento certo em um caso como esse”, afirmou o delegado do Caso Henry.

A defesa do ex-vereador afirma que a última vez que Jairinho fez uma massagem cardíaca foi em um boneco, ainda na faculdade. Ele diz que, apesar de formado, nunca exerceu a profissão de médico.

O exame de necropsia no corpo do menino e a reconstituição dos acontecimentos da madrugada do dia 8 de março mostraram que Henry sofreu 23 lesões, inclusive uma laceração no fígado, e morreu vítima de ação violenta.

Essa conclusão elimina a possibilidade da morte do menino ter sido acidental, como afirmam as defesas da mãe e do  padrasto.

Assista ao trecho do vídeo gravado no elevador. As imagens são fortes!

Depoimento da mãe de Henry Borel

A mãe de Henry, Monique Medeiros, afirmou em depoimento à polícia que estava dormindo no quarto de hóspedes quando acordou por volta das 3h30 da manhã, viu a TV ligada e Jairinho dormindo ao seu lado.

Ela foi até o quarto do casal e encontrou Henry caído no chão. Segundo Monique, ela embrulhou o filho em uma coberta e o levou às pressas para o hospital.

Acontece que, do horário em que ela disse que acordou até o momento em que descem com Henry nos braços, passaram-se 39 minutos.

A polícia que investiga o caso acredita que Henry Borel Medeiros começou a ser agredido cerca de 4 horas antes de ser levado ao hospital. Ele foi assassinado dentro do imóvel e, no momento em que descem pelo elevador e o levam ao hospital, Henry já estava sem vida.

“Eles [os peritos] conseguiram congelar essas imagens e viram que, pelo modo que ele estava, pelo rosto dele, que ele já estava morto naquele momento”, disse a perita criminal Denise Gonçalves Rivera ao ‘G1’.

Monique Medeiros e Dr. Jairinho são réus pelo assassinato de Henry e estão presos desde 8 de abril. O Tribunal do Júri que está acontecendo no Rio de Janeiro determinará se são mesmo culpados e qual será a sentença e o futuro deles.

  • 3 LIVROS POR R$ 50!!! Inclusive quadrinhos em oferta, com descontos imperdíveis e opção de frete grátis. Clique aqui.

Caso Henry: mãe do menino tirou selfie e pediu pizza na hora de depor

Recomendamos para você

Deixe seu comentário

Princesa Mako

Princesa quebra tradição milenar japonesa, se casa com plebeu e perde título real

gerente - Carrefour

Vídeo flagra gerente do Carrefour humilhando funcionário: ‘medo de ser demitido’