in , , ,

O outro lado! Mendigo espancado concede entrevista e conta sua versão da história

Articulado e lúcido, Givaldo Alves apareceu em vídeo e disse que não se arrepende, pois relação foi consensual

Fotos: Reprodução/Redes Sociais/YouTube

O Brasil tem acompanhado há 15 dias o desenrolar da história bizarra de uma mulher que foi flagrada pelo marido, na noite do dia 9 de março, fazendo sexo com um mendigo dentro do carro em Planaltina, Distrito Federal.

  • Aspirador de pó, fritadeiras elétricas, enxoval, ventiladores… que tal conferir ofertas imperdíveis e renovar sua casa com até 40% de desconto e opção de FRETE GRÁTIS? Clique aqui.

Acreditando que sua esposa, Sandra Mara Fernandes, estava sendo estuprada, o personal trainer Eduardo Alves partiu para cima do morador de rua e lhe deu um surra.

A própria mulher chegou a afirmar que a relação tinha sido consensual, o que deixou a história ainda mais inusitada.

Veja também:
Caso do mendigo: marido não aguenta mais receber trotes e até ameaças

Tempo depois, quando os ânimos se acalmaram e os envolvidos foram encaminhados para o hospital e prestaram depoimento à polícia, descobriu-se que Sandra havia saído junto com a sogra para evangelizar pessoas em situação de rua da cidade.

Conforme ela mesma disse em um áudio que viralizou na internet, Sandra Mara teve alucinações e acreditava que precisava ficar com o morador de rua para cumprir seu propósito.

Em alguns momentos, ela enxergava o marido no corpo do morador de rua e, por outros, via o próprio Deus. 

Segundo Eduardo Alves, sua esposa Sandra foi mesmo vítima de um estupro, pois ela estava tendo um surto psicótico quando convidou o mendigo para entrar no carro e eles acabaram transando.

Até o momento, entretanto, só se sabia a versão de Eduardo Alves da história. Nesta quarta-feira (23), o morador de rua, que se chama Givaldo Alves, resolveu falar o que aconteceu naquela noite, segundo a sua perspectiva.

Mendigo concede entrevista

Em entrevista de 47 minutos ao jornal ‘Metrópoles’, Givaldo, um baiano de 48 anos, demonstrou ser um homem bem articulado e com uma fala lúcida e clara.

Veja também:
Caso do mendigo: relato da própria mulher em áudio muda totalmente a história

O morador de rua afirmou que gosta de literatura e contou que já trabalhou em diversas áreas, como operário na área de construção civil e como motorista responsável pelo transporte de produtos perigosos.

Givaldo contou que já foi casado, tem uma filha de 28 anos e devido às dificuldades acabou se vendo em situação de rua. Ele passou por cidades da Bahia, Tocantins, Minas e Goiás até chegar a Brasília.

Desde então, vive essa rotina das ruas dormindo em abrigos públicos e casas de passagens. Logo de início da entrevista, ele se defendeu dizendo que no sexo com a mulher casa não houve qualquer tipo de violência“. 

Segundo o mendigo, ele foi convidado por Sandra para entrar no veículo, mesmo após dizer para ela quenão tinha tomado banho“.

O morador de rua deixou claro que não sabia que a mulher era casada, só ficou sabendo depois do ato e de ter sido espancado pelo marido dela. No momento das agressões, ele achou que estivesse apanhando por conta de outra situação.

“Eu andava pela rua e ouvi um grito: ‘moço, moço’. Olhei para trás e só tinha eu. E ela confirmou comigo dizendo: ‘Quer namorar comigo?‘”, relatou ele, que respondeu:

“Moça, eu não tenho dinheiro, sou morador de rua. Não tenho dinheiro nem para te levar ao hotel. Então, ela disse: Pode ser no meu carro‘”. 

Veja também:
Traído com mendigo? Marido concede entrevista e pretende continuar casamento

Ele aceitou entrar e os dois fizeram sexo. Durante o ato, o marido de Sandra apareceu, o tirou do carro e as agressões começaram. Segundo Givaldo, ele revidou: “Nós trocamos socos”. 

Givaldo se defende de acusação de estupro

Diante da situação, Givaldo fez questão de deixar claro que tudo aconteceu consensualmente e que Eduardo Alves, o personal trainer traído, errou em tê-lo agredido daquela maneira.

“Eu achava que era uma mulher em busca de carinho e satisfação. Acho que o senhor [o personal] deveria rezar para Deus e pedir sabedoria para agir em momentos de desespero, porque ele pode colocar tudo a perder. O senhor se expõe, usando mentira. Reflita um pouco”, declarou o morador de rua.

Givaldo sofreu um edema no olho e ficou com a costela quebrada. Sem acreditar no alcance que a história teve nas redes sociais, o sem-teto comenta:Não me arrependo“. 

Ele comemora o fato de tudo ter acontecido em ruas em que haviam câmeras de segurança. 

“Deus me colocou em um lugar cercado por câmeras que comprovam não ter havido nada disso (estupro). Se fosse outro morador de rua, possivelmente já estaria preso”, afirmou.

Veja também:
Casada transou com morador de rua: tudo que sabemos sobre esse caso bizarro

Assista a entrevista completa com Givaldo Alves, morador de rua que transou com mulher casada:

Confira no vídeo abaixo o momento em que Eduardo Alves agride o morador de rua:

Veja uma foto do casal, Sandra e Eduardo, e do estado em que o morador de rua ficou após apanhar do personal:

Eduardo Alves - Sandra - Morador de Rua mendigo
Fotos: Reprodução/Redes Sociais
  • Aspirador de pó, fritadeiras elétricas, enxoval, ventiladores… que tal conferir ofertas imperdíveis e renovar sua casa com até 40% de desconto e opção de FRETE GRÁTIS? Clique aqui.

Caso do mendigo: marido não aguenta mais receber trotes e até ameaças

Recomendamos para você

Deixe seu comentário

Vanessa Ataídes bumbum

Dona do ‘maior bumbum do Brasil’ é xingada e se envolve em briga na rua

Renato Ronner - Arthur Aguiar

Colunista recebe proposta de R$ 50 mil para ‘queimar’ imagem de Arthur Aguiar