in ,

Ator diz que quer ‘reeducar as pessoas’ com beijo gay em ‘Orgulho e Paixão’

Juliano Laham falou sobre cena com Pedro Henrique Müller que foi ao ar no capítulo de quarta-feira (12)

Os atores Juliano Laham e Pedro Henrique Müller, que interpretam Luccino e Otávio em Orgulho e Paixão, novela das seis da Globo que chega ao fim nesta semana, falaram a respeito da cena do beijo entre seus dois personagens, que foi ao ar na quarta-feira (12) e foi considerado o primeiro na faixa de horário da história da emissora.

“Esse marco (beijo) no romance dos dois personagens foi o melhor que podia ter acontecido pro casal. Espero que com cenas de amor como essa a gente consiga mudar ou quem sabe até reeducar as pessoas no quesito respeito ao próximo. É só amor”, escreveu.

Juliano ainda afirmou que espera que no futuro a situação seja vista de forma mais trivial do que hoje: “Torço pelo dia em que vamos comemorar apenas mais um casal na novela. E que o beijo seja apenas mais um beijo. Por enquanto esse beijo é mais que necessário!”

Seu companheiro em cena, Henrique publicou diversas vezes a frase “Viva o amor!”, acompanhado de emojis de corações.

Confira as publicações abaixo:

View this post on Instagram

O Luccino é um presente pra mim. Estou muito feliz de poder contar essa história de amor de uma forma tão pura, genuína e carinhosa. Esse marco (beijo) no romance dos dois personagens foi o melhor que podia ter acontecido pro casal #Lutavio . Espero que com cenas de amor como essa a gente consiga mudar ou quem sabe até reeducar as pessoas no quesito respeito ao próximo. É só amor. Sobre a repercussão, ainda não consegui acompanhar muito a de hj por estar gravando. Mas estamos muito feliz com a torcida pelo casal #Lutavio. Torço pelo dia em que vamos comemorar apenas mais um casal na novela. E que o beijo seja apenas mais um beijo. Por enquanto esse beijo é mais que necessário!

A post shared by Juliano Laham (@julianolaham) on

‘Orgulho e Paixão’ exibe primeiro beijo gay em novela das seis

Foto: Agência Brasil

Grupo de mulheres contra Bolsonaro reúne 1,2 milhão de integrantes em poucos dias

marília mendonça

Cachorra de Marília Mendonça sofre infarto, morre e ela desabafa após ser criticada