in , ,

Em supermercado, homem questiona Moro sobre Queiroz; veja vídeo

‘Por que o Queiroz não é a pauta? A roubalheira do PT é pauta, a roubalheira do Queiroz, do PSL, não é pauta do governo, ele não pode falar sobre isso?’, disse cliente de estabelecimento

(Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)

Um vídeo que circula nas redes sociais, desde a terça-feira (8), mostra o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, sendo cobrado pelo caso de movimentações financeiras suspeitas do ex-assessor de Flávio Bolsonaro na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj), Fabrício Queiroz.

A assessoria de Moro confirmou o ocorrido, no último domingo (6), em um supermercado em Brasília. O ministro aparece distante na gravação, em um dos caixas do mercado, enquanto um rapaz grita “Por que o Queiroz não é a pauta? A roubalheira do PT é pauta, a roubalheira do Queiroz, do PSL, não é pauta do governo, ele não pode falar sobre isso?”.

Ao lado do homem que gravou o vídeo, aparece outra pessoa, no mesmo caixa, alegando que queria comprar uma garrafa d’água. A assessoria de Moro confirmou se tratar de um dos integrantes da equipe do ministro, que teria tentado evitar o constrangimento.
“Vai me censurar por isso? Disse que queria conversar comigo lá fora? Não, fala aqui. Você não é segurança do Moro? Sua fila é aquela lá”, afirma o homem que grava o vídeo, apontando para a direção onde se encontra o ministro.

“Você está sendo desagradável e mal educado com todo mundo aqui”, afirma Moro, em seguida. Ao fundo, a voz de uma mulher pede ajuda ao estado do Ceará, que tem sofrido onda de violência e ataques na última semana e teve o envio da Força Nacional autorizado pelo ministro.

Assista:

Moro, antes juiz que comandou a Operação Lava Jato e a prisão de envolvidos nos esquemas de corrupção, inclusive do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, tem sido questionado sobre a falta de posicionamento a respeito das investigações que atingem o funcionário do filho do presidente Jair Bolsonaro.

Veja também:
Aplicativo faz levantamento com os nomes de cachorros mais comuns em 2018

Queiroz, que esteve internado no Hospital Albert Einstein, em São Paulo, após cirurgia para retirada de tumor, não compareceu a duas audiências convocadas pelo Ministério Público Estadual do Rio de Janeiro. Em entrevista ao canal SBT, no dia 26 de dezembro, alegou que a movimentação de R$ 1,2 milhão em sua conta é originária da venda de carros.

Tanto sua esposa quanto suas filhas, também funcionárias e ex-funcionárias da Alerj no gabinete de Flávio, não deram data para comparecer ao MP-RJ por acompanharem a recuperação de Queiroz em São Paulo.

Também nesta terça, a esposa de Sérgio Moro, Rosangela Moro, postou em sua conta do Instagram uma foto da bandeira do Brasil com a mensagem: “O dia em que todos os brasileiros se conscientizarem que somos um só povo com as mesmas preocupações veremos um grande avanço e estaremos no caminho certo. Parem de reclamar e esperem para ver a que veio este novo governo”, escreveu Rosângela. “#bolonaromoroguedes (sic). Redução de custos, corte de despesas desnecessárias, zero propina. Chega de mimimi. Apenas espere e assista.”

O contexto da publicação seria as divergências entre a ala econômica do governo Bolsonaro, comandada pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, e a ala política, liderada pelo ministro da Casa Civil e ex-deputado federal, Onyx Lorenzoni. A publicação de Rosangela foi apagada das redes sociais.

Comente com o Facebook
bárbara borges

Bárbara Borges revela problemas com álcool e comemora 4 meses sem beber

Vídeo Show

Os momentos mais marcantes do ‘Vídeo Show’, que chega ao fim