in

Frio é causa provável de ao menos cinco mortes em São Paulo

Na madrugada de domingo (7), foi registrada a temperatura mais baixa do ano

Mais dois moradores de rua foram encontrados mortos em São Paulo no último domingo (7). A suspeita é de que o frio tenha causado ambos os óbitos registrados em Santo André, no ABC Paulista, e em Assis, região oeste do Estado.

Com eles, chega a cinco o número de pessoas em situação de rua encontradas mortas no Estado desde o início da onda de frio.

Na madrugada de domingo (7), foi registrada a temperatura mais baixa do ano, 6,5º C, segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet). Já na madrugada desta segunda-feira (8), o Inmet registrou a segunda temperatura mais baixa do ano, 7,2 ºC.

Santo André

Um homem foi encontrado morto em frente a um posto de saúde em Santo André, no ABC Paulista, no domingo.

De acordo com a Secretaria de Segurança Pública do Estado (SSP-SP), a suspeita é de que o frio tenha sido causa da morte. A pasta ressaltou, no entanto, que ainda não há qualquer confirmação. O corpo foi levado ao Instituto Médico Legal (IML) para que a causa da morte seja determinada.

O corpo foi encontrado enrolado em uma manta em frente ao Posto de Saúde da Família da Rua Almada, no bairro Parque Novo Oratório 1 pela Polícia Militar. O caso foi registrado no 2° Distrito Policial de Santo André.

Assis

Uma mulher, também em situação de rua, foi achada morta em Assis (SP), no domingo, quando a cidade registrou temperatura mínima de 3ºC na madrugada.

Segundo a Polícia Militar, Rozilda Maria Barreto, de 43 anos, foi encontrada por moradores na Av. Vila Prudenciana, em qualquer marca de violência.

Frio

Na sexta-feira (5), o morador de rua Gabriel Leguthe Laffot, de 22 anos, foi encontrado morto nas escadas do terminal de ônibus e Metrô da Barra Funda, e um segundo, ainda não identificado, na rua Doutor Pacheco e Silva, no centro.

No sábado, um terceiro homem, também não identificado, foi encontrado em Itaquera, Zona Leste.

Como ajudar

A população também pode ajudar as pessoas em situação de rua solicitando uma abordagem social por meio da CPAS, que funciona 24 horas por dia e pode ser acionada pela Central 156.

A solicitação pode ser anônima, mas é importante ter as seguintes informações para facilitar a identificação:

  • O endereço da via em que a pessoa em situação de rua está (o número pode ser aproximado);
  • Citar pontos de referência;
  • Características físicas e detalhes de como a pessoa a ser abordada está vestida.

Comente com o Facebook
gato

Justiça decide que gato disputado por casal separado terá guarda compartilhada

Foto: reprodução / Instagram

Susana Vieira critica série da Globo em que ela atuou: ‘seriado de esquerda’