in ,

Joana Prado tenta se defender após criticar banheiro unissex e perder patrocínios

A eterna Feiticeira e esposa do lutador Vitor Belfort rebateu comentários, mas piorou a situação

Fotos: Reprodução/Instagram/Canva

Joana Prado, a eterna Feiticeira e esposa do lutador Vitor Belfort, compartilhou um vídeo na última semana demonstrando preocupação ao chegar em um local nos Estados Unidos, onde vive com a família, e o banheiro ser unissex.

  • 3 LIVROS POR R$ 50!!! Inclusive quadrinhos em oferta, com descontos imperdíveis e opção de frete grátis. Clique aqui.

O fato de o banheiro poder ser usado por diferentes pessoas, independentemente do gênero, teria deixado ela preocupada com relação à segurança das filhas adolescentes.

O vídeo gerou bastante repercussão nas redes sociais e Joana recebeu críticas e foi acusada de transfobia e homofobia. Ela chegou a perder importantes patrocinadores após a polêmica.

Veja também:
Família manda desenhar bigode e cavanhaque em corpo de mulher trans em velório

Na última quarta-feira (20), ela publicou dois vídeos, um em português e um em inglês, rebatendo as críticas e explicando qual é sua real preocupação com relação aos banheiros unissex.

“Não devo satisfação para ninguém. Aprendi que é muito mais importante viver de valores do que de preferências. Mas não posso admitir que a minha mensagem seja distorcida”.

“O vídeo jamais teve a intenção de ser transfóbico ou homofóbico. Em momento algum eu questiono a sua escolha [sic] sexual”, iniciou Joana Prado, conhecida no Brasil por sua personagem sexy, a ‘Feiticeira’, nos anos 1990.

Confira o trecho do vídeo em que Joana reclama do banheiro unissex:

Joana Prado se defende, mas piora a situação

Joana fez questão de ressaltar que não tem nada contra pessoas LGBTQIA+ e que tem uma funcionária gay e um trans na família. A emenda acabou pior que o soneto e ela foi mais criticada ainda após a publicação dos vídeos.

“A minha empresa aqui nos EUA é uma companhia inclusiva, uma das minhas coachs é gay. Tenho diversos amigos gays, inclusive, tenho na minha família um trans, que amo de paixão. A minha mensagem está longe de ser contra essas pessoas”, disse.

Veja também:
Estudante de medicina é agredido por PM de folga: 'viadão!'

Ela ainda falou sobre seu posicionamento, por ser cristã. “O fato de seu ser cristã, não me dá nunca o direito de fazer isso, porque o meu Jesus é um pai que ama, que respeita e jamais aponta o dedo”, declarou Joana Prado.

“A minha mensagem é de uma mãe preocupada com a segurança das suas filhas, pelo fato de elas poderem estar dividindo um banheiro público com um homem e correndo o risco de serem molestadas ou até mesmo estupradas”, tentou esclarecer a loira.

Minha luta é contra a pedofilia, o abuso e a violência sexual. Não posso admitir que as minhas filhas, de 12 e 13 anos, corram esses risco. A minha luta é para que, juntos, a gente consiga evitar que isso continue acontecendo”, disse.

A esposa de Vitor Belfort lembrou as pessoas sobre o desaparecimento da cunhada, Priscila Belfort, há quase 20 anos. “E nós não sabemos se ela foi sequestrada, abusada ou vendida para a indústria do sexo”, afirmou.

Sobre as empresas que deixaram de patrociná-la devido ao seu posicionamento a respeito dos banheiros unissex, Joana disse:

“Se empresas que me patrocinam estão mais preocupadas com o meio ambiente do que com cuidado e proteção do ser humano, eu e minha família é que não queremos estar com essas empresas”. 

“Quero estar juntos com empresas e pessoas do bem, que lutam pelas mesmas causas. Não devo satisfação para ninguém, mas essa luta é minha, e a luta é contra essas pessoas que sofrem: vamos acabar com o tráfico de pessoas“, finalizou Joana.

Assista ao vídeo de Joana Prado abaixo:

Vitor Belfort desabafa sobre desaparecimento de irmã: ‘eterno enterro’

Recomendamos para você

Deixe seu comentário

Ana Maria Braga

Ana Maria Braga continua internada após sofrer queda na cozinha

pastor Huber Carlos Rodrigues

Família se recusa a liberar corpo de pastor que prometeu que ressuscitaria no 3º dia