in

Lula beija namorada e faz primeiro discurso fora da prisão; confira

‘Se pegar o Dallagnol, se pegar o Moro, se pegar alguns delegados, e bater num liquidifcador, o que sobrar não é 10% da honestidade que eu represento neste país’, afirmou o ex-presidente em breve fala em Curitiba

Em um palco improvisado na frente da Superintendência da Polícia Federal (PF), em Curitiba, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva fez o seu primeiro discurso após deixar a prisão. Ele estava detido desde 7 de abril de 2018, condenado em segunda instância pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro, devido à posse de um triplex localizado no Guarujá (SP).

Com naturalidade, Lula agradeceu aos apoiadores que montaram uma vigília na frente da PF e ficaram por lá durante todo o período – 580 dias no total. “A minha vida inteira estive conversando com o povo brasileiro, eu não pensei que no dia de hoje eu poderia estar aqui conversando com homens e mulheres que durante 580 dias gritaram aqui ‘bom dia, Lula’, ‘boa tarde, Lula’, ‘boa noite, Lula’, não importa que estivesse chovendo, 40 graus, 0 grau – todo santo dia vocês eram o alimento da democracia que eu precisava para resistir”, afirmou.

Veja também:
Após 580 dias detido, ex-presidente Lula deixa a prisão em Curitiba

O ex-presidente culpou “um lado podre do Estado brasileiro, Justiça, Ministério Público, Polícia Federal e Receita Federal” por sua prisão e pela “criminalização da esquerda”. “Além de continuar lutando para melhorar a vida do povo, que está uma desgraça, além de não permitir que esses caras entreguem o País, quero dizer, em alto e bom som, que vocês saibam que o lado mentiroso da política, canalha do MP público, da força-tarefa, e o Moro, eles não prenderam um, eles tentaram matar uma ideia”, declarou, em menção ao atual ministro da Justiça, Sergio Moro, que foi o juiz responsável por prendê-lo em 2018.

“Se existe uma quadrilha e um bando de mafioso neste País, é essa maracutaia que fizeram para tentar, liderados pela Rede Globo, que o Lula era bandido. Eu quero dizer que se pegar o Dallagnol, se pegar o Moro, se pegar alguns delegados, e bater num liquidifcador, o que sobrar não é 10% da honestidade que eu represento neste país”, afirmou o político.

Ainda durante o discurso, de pouco mais de 15 minutos, Lula beijou a namorada, a socióloga Rosângela Da Silva, após pedidos dos apoiadores. “Consegui a proeza de, mesmo preso, arrumar uma namorada e estar apaixonado”, declarou.

Veja também:
Luana Piovani diz que dá trabalho ser cidadã no Brasil: 'não dá pra postar foto de biquíni'

Em outro momento, fez uma provocação ao atual presidente da República, Jair Bolsonaro. “Eu tenho meu capitão de verdade”, disse, em referência a um aliado.

Assista a trechos a seguir:

Lula deixa a prisão

O ex-presidente foi solto, na tarde desta sexta-feira (8) após nova decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), desta quinta (7), que derrubou a validade da execução provisória de condenações criminais, conhecida como ‘prisão após a segunda instância’. Por 6 votos a 5, a Corte reverteu seu próprio entendimento, que havia autorizado as prisões em 2016.

De acordo com a decisão, “ninguém poderá ser preso senão em flagrante delito ou por ordem escrita e fundamentada da autoridade judiciária competente, em decorrência de sentença condenatória transitada em julgado ou, no curso da investigação ou do processo, em virtude de prisão temporária ou prisão preventiva”.

Segundo o Conselho Nacional de Justiça (CNJ), o julgamento terá impacto na situação de 4,8 mil presos.

Lula foi condenado a 12 anos e 1 mês pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro, devido à posse de um triplex localizado no Guarujá (SP). Ele ainda responde a oito processos que tramitam em São Paulo, Brasília e Curitiba. Ele pode ser preso novamente, desde que seja condenado em última instância em algum dos casos em que é réu ou ser preso em medida cautelar.

Veja também:
Filhos da Pátria: série da Globo traz referências a Bolsonaro, Dilma e mais

Comente com o Facebook
(Foto: Ricardo Trida / Estadão Conteúdo / Arquivo)

Após 580 dias detido, ex-presidente Lula deixa a prisão em Curitiba