in , ,

Universitária faz bolo com foto de Hitler, é investigada e pode acabar presa

Estudante do curso de História da Universidade Federal de Pelotas pode respoder por apologia ao nazismo

Foto: Reprodução

Uma jovem universitária de 24 anos está sendo investigada pela polícia por fazer um bolo de aniversário com a imagem de Adolf Hitler estampada.

Como se não bastasse, ela ainda compartilhou uma foto do bolo nas redes sociais. A principal suspeita é que ela tenha cometido o crime de apologia ao nazismo.

  • 3 LIVROS POR R$ 50!!! Inclusive quadrinhos em oferta, com descontos imperdíveis e opção de frete grátis. Clique aqui.

Se condenada, a estudante do curso de História da Universidade Federal de Pelotas, no Rio Grande do Sul, pode receber uma pena de reclusão que varia de 2 a 5 anos.

Veja também:
Colecionador Choca o Mundo com Nudes da Esposa de Hitler, Eva Braun

A estudante e futura historiadora enalteceu, durante a comemoração de seu aniversário, o genocida Adolf Hitler – o líder nazista foi responsável pelo regime de terror que levou o mundo à Segunda Guerra Mundial.

O ditador liderou o Holocausto, genocídio que exterminou cerca de seis milhões de judeus de maneira extremamente violenta e impiedosa na década de 1940.

Bolo de Hitler: crime de apologia ao nazismo

A Polícia de Pelotas investiga o caso e busca entender o que levou a jovem a colocar uma foto de Adolf Hitler em seu bolo de aniversário, e ainda expor isso nas redes sociais.

“Temos um inquérito em andamento, que vai agora procurar entender qual era exatamente a intenção da moça, primeiro ao fazer o bolo com essa imagem e depois divulgar em rede social”, disse o delegado regional Márcio Steffens.

“Vamos ouvir as pessoas e, em 30 dias, finalizar o inquérito“, completou ele.

Bolo - Hitler
Foto: Reprodução

Universidade repudia a situação

A Universidade Federal de Pelotas, da qual a jovem é aluna, emitiu uma nota à imprensa afirmando que está acompanhando as investigações e reiterando que a universidade repudia qualquer apologia ao nazismo ou outra forma de discriminação.

Veja também:
Marcão do Povo se desculpa por ter sugerido campo de concentração no SBT

Leia a nota da UFPel, na íntegra:

“Uma universidade precisa ser um espaço de apoio a todas as pessoas, garantindo direitos, valorizando a vida. A UFPel é contra qualquer forma de enaltecimento ao nazismo, ao fascismo e a autores de crimes contra a Humanidade.

Em dias tão tristes como os que estamos vivendo, de pandemia, de afastamento e de crise de valores, precisamos cuidar de nós, cuidar das pessoas à nossa volta, assim como daqueles e daquelas que necessitam do nosso apoio.

Nesse sentido, a UFPel está acompanhando e averiguando os fatos ocorridos recentemente com a cautela necessária, também para que não aconteçam atos injustos, devido a análises intempestivas de nossa parte.

A assessoria da reitora Isabela Andrade também reitera que, concretamente, repudiamos qualquer apologia ao nazismo ou qualquer outra forma de discriminação.

Além disso, tendo em vista que o fato não ocorreu nas dependências da universidade e nem em qualquer atividade acadêmica, ao recebermos a notícia dos fatos, encaminhamos imediatamente à autoridade policial para as providências adequadas“. 

  • 3 LIVROS POR R$ 50!!! Inclusive quadrinhos em oferta, com descontos imperdíveis e opção de frete grátis. Clique aqui.

Para evitar que neonazistas bebam, moradores compram toda cerveja da cidade

Recomendamos para você

Deixe seu comentário

filha vê Olivia Makoski - Francisco

Horror! Filha vê pai assassinar a mãe com tiros na cabeça: ‘minha mãezinha’

Ana Maria Braga - Rainha Elizabeth II

‘Deixem a Betinha’, diz Ana Maria sobre Rainha Elizabeth parar de beber