in ,

Ex-jornalista da Globo, Carla Vilhena reclama de funk alto na vizinhança

‘Inferno nos ouvidos, baile funk a todo volume. E quem tem que acordar cedo?’, escreveu nas redes sociais

A jornalista Carla Vilhena, ex-âncora de telejornais TV Globo, se irritou com uma música alta que a impedia de pegar no sono próximo ao seu apartamento na madrugada desta segunda-feira (24). A chateação se transformou em desabafo no Twitter e repercutiu bastante na internet.

“Baile funk a todo volume. E quem tem que acordar cedo?”, escreveu. “Bem, pra que se preocupar com os trabalhadores, o bom mesmo é a tal ‘manifestação cultural’, que é como essa porcaria é chamada pelos pseudointelectuais”, continuou.

Ao se deparar com um seguidor que não concordou com suas opiniões, Carla Vilhena rebateu: “Querido tuiteiro, esta é a única frase da porcaria que está tocando que consigo reproduzir aqui, sem ser banida do Twitter (espero): ‘Já comi a filha, agora vou comer a mãe.’”

A jornalista ficou indignada com o conteúdo das músicas que, segundo ela, eram pornográficos e do mais baixo calão, e ainda disse que gostaria de salvar seus filhos “dessa nojeira”.

“O funk de podridão estimula um comportamento tão baixo dos jovens, que muitos só conseguem fazer aquilo sob efeito de drogas. Rap conscientiza, funk aliena. Por isso o tráfico baniu o rap”, finalizou.

Alguns seguidores compartilharam da opinião da jornalista e declararam apoio a ela no Twitter: “Tem coisa pior que funk pornô? Está certíssima Carla tem meu apoio!!!! E tá errado? Certíssima. Aqui tenho um vizinho que é bem assim! Apoiada! Tá certa Carla, uma nojeira isso mesmo, tô contigo”.

“Temos q respeitar a opinião dela! E concordo com ela, servem mais pra prostituição e tráfico de drogas. Quem vive nessa aéreas ainda é obrigado a baixar cabeça”, concluiu outro seguidor.

Comente com o Facebook
Foto: reprodução / Twitter

Mulher coloca seu rosto em fotos de corpão, engana homens e viraliza na web

kim kardashian

Kim Kardashian lança linha de cintas modeladoras e gera grande polêmica