in ,

Renata Vasconcellos e Rodrigo Bocardi também lucraram com ‘extras’ para banco

Após demissão de Dony de Nuccio, jornalistas da Globo também foram citados em contrato; emissora se posicionou

Foto: Reprodução/Globo e Instagram

Após a saída de Dony de Nuccio da Globo, foi revelado que os apresentadores Renata Vasconcellos, do ‘Jornal Nacional’, e Rodrigo Bocardi, do ‘Bom Dia São Paulo’, também fizeram trabalhos ‘extras’ para o Bradesco.

As informações foram publicadas pela revista ‘Veja’, na quinta-feira (1°), que citou documentos com os valores pagos por participações em campanhas de divulgação interna do banco.

Veja também:
Dony De Nuccio desobedece Globo, assina contrato publicitário e se dá mal

A divulgação dos comprovantes acontece depois do pedido de demissão de Dony de Nuccio, que era o mais cotado como sucessor de William Bonner no ‘Jornal Nacional’, mas decidiu deixar a emissora após vir a público seu lucro de mais de R$ 7,2 milhões com trabalhos para o banco entre 2017 e 2019.

Casos de Renata Vasconcelos e Rodrigo Bocardi

Em um vídeo, a âncora do Jornal Nacional aparece ao lado de um totem com a marca da instituição financeira e a frase: “120 razões para ser cliente”. Em nota divulgada pela Globo, Renata Vasconcellos disse que “não lembra precisamente de quando foi a participação no vídeo interno ao qual às fotos se referem, mas estima que deve ter ocorrido há oito anos ou dez anos”.

Rodrigo Bocardi, por sua vez, prestou serviço para um evento da UniBrad, Universidade Corporativa do Bradesco, com um conteúdo chamado “Relacionamento com o Cliente”. Ao todo, ele recebeu R$ 332 mil. Também em comunicado, a emissora afirmou que o caso dele não é comparável com as atividades de Dony.

“Bocardi não tem e nem nunca teve uma empresa como a do jornalista Dony de Nuccio: não produz vídeos de nenhuma espécie, não faz projetos de comunicação, não faz vídeos publicitários, não capta clientes, não faz assessoria de imprensa. Sua PJ é o meio usado para que seja remunerado por palestras, mediação de debates ou apresentação de eventos, sempre fechados, sem transmissão ao público”, explicou a Globo.

“A nota fiscal encaminhada se refere a uma série de 9 palestras, realizadas há dois anos, para funcionários, sob o título ‘O diferencial sou eu’, sobre a sua trajetória e carreira, em evento fechado e sem transmissão”, completou.

Posicionamentos da Globo e do Bradesco

A nota ainda esclareceu que nem todas as parcerias de seus jornalistas com outras empresas são passíveis de algum tipo de advertência. “Em alguns casos, a participação se deu com autorização da Globo por não ferir as políticas atuais da empresa. Em outros casos, a participação foi inadequada, mas sem má-fé”, diz o comunicado.

“Todos informaram que não possuem empresas prestadoras de serviços de marketing, assessoria de imprensa ou de projetos de comunicação empresarial. A Globo, ciente agora de que persistem algumas dúvidas sobre como agir diante de convites, informou que em breve um comunicado reiterará o que é proibido e o que não é, em detalhes, levando em conta a era digital em que vivemos”.

Também em nota, o banco declarou que, “por uma questão de ética e respeito profissional, não comentará contratos firmados com seus fornecedores”.

Comente com o Facebook
Foto: Reprodução/Instagram

Carlinhos Maia compra fogão e geladeira para casal de catadores; veja vídeo

juliana paes

Juliana Paes se chateia e desabafa após ser chamada de ‘bolsominion’