in ,

iFood hackeado? Nomes de restaurantes alterados geram polêmica na web

A empresa deu uma explicação oficial sobre quem teria alterado os nomes de estabelecimentos por frases e xingamentos

Um dos assuntos mais comentados na noite da última terça-feira (2) nas redes sociais foi o iFood Brasil. O motivo? Vários clientes que entraram no aplicativo para pedir comida se depararam com algo muito estranho.

  • 3 LIVROS POR R$ 50!!! Inclusive quadrinhos em oferta, com descontos imperdíveis e opção de frete grátis. Clique aqui.

Os nomes de diferentes restaurantes (em todo o país!) haviam sido trocados por frases de apoio ao presidente Jair Bolsonaro, xingamentos contra o ex-presidente Lula e piadas de mau gosto sobre o assassinato da ex-vereadora Marielle Franco – e até mensagens negacionistas com relação às vacinas contra a Covid-19.

Bolsonaro 2022, Lula Ladrão“, “Mariele de Franco Peneira [sic] e Vacina Mata foram algumas das frases colocadas no ar na noite desta terça.

A primeira possibilidade pensada pelos internautas foi que o iFood provavelmente tinha sido hackeado – o que gerou bastante preocupação, visto que o app tem acesso aos dados bancários e cartões de crédito dos usuários.

Veja também:
Mulher desmaia sozinha após pedido de socorro não chegar pelo WhatsApp

Num primeiro momento, em nota enviada ao portal ‘Uol’, o iFood afirmou que apenas 6% dos estabelecimentos cadastrados sofreram a alteração e que estavam investigando o que tinha ocorrido.

O iFood disse, também, que “medidas imediatas para sanar o problema e proteger os dados de restaurantes, consumidores e entregadores” estavam sendo tomadas.

Confira uma captura de tela que mostra os nomes de diferentes estabelecimentos alterados:

restaurantes iFood
Fotos: Reprodução

Ainda na noite desta terça-feira (2), o perfil oficial do iFood no Twitter se pronunciou sobre a invasão. “Na noite de hoje, 2 de novembro, o iFood identificou que alguns estabelecimentos cadastrados na plataforma tiveram seus nomes alterados, iniciou o comunicado.

“Aproximadamente 6% dos estabelecimentos foram afetados. A empresa tomou medidas imediatas para sanar o problema e proteger os dados de restaurantes, consumidores e entregadores”, disse o iFood.

Na mensagem, o aplicativo tranquilizou clientes e proprietários de restaurantes cadastrados, que estavam temendo pelo vazamento de dados importantes após o iFood ter sido hackeado.

“Em investigações preliminares, a empresa informa que não há qualquer indício de vazamento da base de dados pessoais cadastrados na plataforma, tampouco de dados de cartão de crédito“. 

Veja também:
Carlinhos Maia diz que foi convidado para ser vacinado antes e governo nega tudo

Já na madrugada de quarta (3), o iFood tuitou informando quem foi o responsável pelo ataque: um funcionário.

“O incidente foi causado por meio da conta de um funcionário de uma empresa prestadora de serviço de atendimento que tinha permissão para ajustar informações cadastrais dos restaurantes na plataforma, e que o fez de forma indevida, explicou o app.

Veja:

O que motivou o ataque ao iFood?

Há poucos dias, o iFood decidiu romper a parceria que tinha com o ‘Flow Podcast‘, um dos mais ouvidos do Brasil e removeu o patrocínio ao programa.

A decisão foi tomada após comentários polêmicos de um dos apresentadores, Bruno Aiub, mais conhecido como Monark, no Twitter.

Monark expôs a opinião dele sobre o que chamou de liberdade de expressão, opinião esta que não foi bem recebida por grande parte dos internautas e acabou acarretando no rompimento do contrato.

Veja também:
iFood faz piada com gafe em 'A Dona do Pedaço' e distribui cupons

Confira um dos tuites do apresentador, que gerou polêmica e não foi bem recebido na web:

Segundo o site Propmark, o iFood assumiu o compromisso público de “ser protagonista na promoção de mudanças urgentes que favoreçam a diversidade e a inclusão.

Logo, não fazia sentido continuar incentivando a produção de um podcast apresentado por um homem que demonstrou ter opiniões que parecem não seguir essa linha de pensamento, priorizada pelo iFood atualmente.

Em nota, o iFood declarou que acredita não ser mais possível ser parte de uma sociedade desigual, além de repudiar qualquer tipo de preconceito ou ato de descriminação.

A atitude do iFood diante da polêmica, de romper com o ‘Flow Podcast’, pode ter gerado a insatisfação no funcionário em questão, e ele resolveu ‘se vingar’ substituindo nomes de estabelecimentos por frases a favor de Jair Bolsonaro e contra as vacinas.

Veja também:
Cupom falso do iFood engana usuários do Facebook a mudarem seus nomes

Confira as reações de internautas no Twitter sobre o iFood “hackeado”:

  • 3 LIVROS POR R$ 50!!! Inclusive quadrinhos em oferta, com descontos imperdíveis e opção de frete grátis. Clique aqui.

Bebê faz pedido acidental no iFood e recebe um presente da empresa

Recomendamos para você

Deixe seu comentário

Jayne Rivera velório

Blogueira é detonada ao fazer ensaio fotográfico no velório do próprio pai

Goleiro Bruno - Eliza Samudio

Homem é demitido após se fantasiar de ‘goleiro Bruno’ no Halloween