in ,

Monique realizou ‘atos libidinosos’ com advogado casado na cadeia, acusam detentas

Mulheres que dividem cela com mãe de Henry Borel a denunciaram por “mostrar os seios para defensor”

Fotos: Reprodução

Monique Medeiros (presa em abril de 2021 pela morte do próprio filho – o menino de apenas 4 anos Henry Borel) foi acusada pelas detentas com quem divide cela de ter cometido ‘atos libidinosos’ com um de seus advogados, nas dependências do presídio.

Ela é professora e tinha um relacionamento com o vereador cassado Jairo Souza Santos Junior, o Dr. Jairinho.

Os dois foram presos pelo assassinato de Henry Borel, que aconteceu no dia 8 de março de 2021 no apartamento onde ela vivia com Jairinho, em uma área nobre do Rio de Janeiro.

Veja também:
Henry Borel: vídeo mostra mãe e Jairinho com menino desfalecido no elevador

A mãe de Henry, Monique Medeiros, está presa no Instituto Penal Oscar Stevenson, presídio localizado em Benfica, na Zona Norte do Rio de Janeiro.

Após um desentendimento com as companheiras de cela, informações sobre um suposto relacionamento de Monique com um de seus advogados – que é um homem casado – foram ditas às autoridades.

Segundo informações do portal ‘G1’, tudo teria começado depois que Monique acusou Fernanda Silva Almeida, conhecida como Fernanda Bumbum, de ter roubado medicações dela na cadeia.

Fernanda foi presa por planejar a morte de uma rival de procedimentos estéticos e era casada com um ex-PM, condenado pela chacina da Baixada Fluminense.

Irritada com a denúncia da mãe de Henry, Fernanda Bumbum decidiu colocar a boca no trombone e expor questões contadas pela própria Monique na cela do presídio em que elas estão presas no Rio de Janeiro.

Segundo Fernanda Bumbum e outras 5 presas, Monique realizou “atos libidinosos” dentro da cadeia. Durante uma visita do advogado, ele teria se masturbado enquanto Monique mostrava os seios.

Veja também:
Caso Henry: mãe do menino tirou selfie e pediu pizza na hora de depor

Os atos teriam acontecido no parlatório da prisão, uma sala em que ocorrem visitas. A presidiária e o visitante são separados por um vidro para conversar e o local não tem câmeras.

Ainda segundo as presas, Monique teria usadoroupas inadequadas na visita de um advogado. Monique iasem sutiã e com shorts bem coladinhos para facilitar a exposição dos seus seios e do resto do corpo”, disseram as colegas de cela.

Segundo a própria Monique supostamente contou, o advogado era apaixonado por ela” e faria de tudo para que ela deixasse a cadeia. Fernanda Bumbum disse, ainda, que o advogado “teria dito que iria se separar da esposa”. 

A Secretaria de Administração Penitenciária do estado do Rio de Janeiro (Seap-RJ) abriu um procedimento para investigar as denúncias das presas. Monique deve ser ouvida nesta segunda-feira (7) pela Comissão Técnica de Classificação (CTC) da secretaria.

Caso Monique Medeiros seja punida, essa infração será anotada na ficha dela e o registro pode prejudicar o índice de comportamento da presa, que é usado como parâmetro para avaliações em progressões de regime.

As denúncias foram comunicadas também à Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-RJ), para que avalie a postura do advogado em questão, que trabalha na defesa de Monique Medeiros.

Veja também:
Mãe de Isabella Nardoni se solidariza com pai de Henry por similaridade dos casos

Confira uma foto do parlatório onde os “atos libidinosos” teriam acontecido:

Parlatório - presídio
Foto: Arquivo Pessoal

As colegas de cela de Monique

O portal ‘G1’ publicou informações especificando quem são as outras presas que também denunciaram os “atos libidinosos” da mãe de Henry Borel.

Confira:

Elaine Pereira Figueiredo Lessa – Presa por tráfico internacional de armas, ela é mulher do PM reformado Ronnie Lessa, acusado de matar a vereadora Marielle Franco e o motorista Anderson Gomes;

Karina Lepri Franco – Dentista que tramou com o amante miliciano a morte do marido, um diretor da Shell;

Priscilla Laranjeira Nunes de Oliveira – Síndica de prédio na Barra da Tijuca que tramou a morte de vizinho junto com o funcionário e amante;

Bruna Adrielly Correia Carlos – Presa na Rodovia Presidente Dutra com 750 kg de maconha;

Cintia Gomes de Oliveira – Presa por adulteração de sinal de identificador de veículo e corrupção ativa. 

Veja uma fotos de Monique e Dr. Jairinho com o filho dela Henry Borel, morto aos 4 anos de idade:

Henry - Monique e Jairinho elevador
Fotos: Reprodução

Caso Henry: mãe do menino tirou selfie e pediu pizza na hora de depor

Recomendamos para você

Deixe seu comentário

Igor - filho Mussum

Filho de Mussum é acusado de roubar a própria moto em shopping: ‘humilhado’

Dona Antônia-dinheiro a receber

Esperando fortunas, brasileiros se frustram com centavos no ‘dinheiro esquecido’