in ,

Caso Henry: Monique pode ter que voltar à prisão por causa de post no Instagram

Mãe do menino estava em prisão domiciliar há alguns dias quando descumpriu medida cautelar

Fotos: Reprodução/YouTube/Instagram

Monique Medeiros (presa em abril de 2021 pela morte do próprio filho – o menino de apenas 4 anos Henry Borel) conseguiu ir para a prisão domiciliar na última terça-feira (5), com uso de tornozeleira eletrônica.

Monique tinha um relacionamento com o vereador cassado Jairo Souza Santos Junior, o Dr. Jairinho.

Os dois foram presos pelo assassinato de Henry Borel, que aconteceu no dia 8 de março de 2021 no apartamento onde ela vivia com Jairinho, em uma área nobre do Rio de Janeiro.

Veja também:
Monique realizou 'atos libidinosos' com advogado casado na cadeia, acusam detentas

Ela estava presa no Instituto Penal Oscar Stevenson, presídio localizado em Benfica, na Zona Norte do Rio de Janeiro, até nesta terça-feira (5), quando foi para prisão domiciliar.

Entretanto, a professora teria descumprido uma das medidas cautelares determinadas pela juíza do caso, que dizia que Monique estava proibida de fazer qualquer postagem nas redes sociais.

O Ministério Público, então, entrou com pedido para que ela volte à prisão. 

Veja uma foto de Monique deixando a cadeia:

Monique deixa cadeia
Foto: Reprodução

Leia um trecho da decisão da juíza, que permitiu a migração da condenada ao regime domiciliar:

Fica, ainda, vedada à ré, enquanto perdurar a monitoração, qualquer comunicação com terceiros – com exceção apenas de familiares e integrantes de sua defesa -, notadamente testemunhas neste processo, seja pessoal, por telefone ou por qualquer recurso de telemática, assim também postagens em redes sociais, quaisquer que sejam elas, sob pena de restabelecimento da ordem prisional”, escreveu a juíza.

Veja também:
Suzane Von Richthofen vai ganhar algum dinheiro pelos filmes sobre ela?

Contudo, neste sábado (9), o perfil ‘Monique Inocente’ fez uma publicação agradecendo aos advogados pela soltura da mãe de Henry.

A página tem mais de 5.200 seguidores, entre amigos, familiares e apoiadores.

Horas depois de Monique Medeiros ter deixado o complexo prisional de Bangu, a publicação foi feita dizendo: “Parabéns aos advogados (Hugo e Thiago) por essa conquista!! […] A Justiça tarda mas não falha!“. 

Veja:

Post Monique
Foto: Reprodução/Instagram
Veja também:
Henry Borel: vídeo mostra mãe e Jairinho com menino desfalecido no elevador

Diante da publicação, o Ministério Público entrou com pedido pela revogação da prisão domiciliar de Monique Medeiros.

“Se não bastasse tudo isso, logo após sua soltura, ela se envolve em postagens sociais, apesar da proibição pelo juízo em sua decisão, como mostram as imagens que seguem. Embora não concordemos com alguns comentários, o abalo à ordem pública pode ser sentido por suas leituras. Não há, portanto, embasamento legal ou fático para se permitir a substituição da prisão preventiva por prisão domiciliar, pelo que a decisão deve ser revogada”, diz o pedido do MP.

A defesa de Monique, no entanto, nega que ela tenha sido a autora da publicação no Instagram.

“Em resposta, a defesa de Monique Medeiros informa que sua cliente está cumprindo integralmente as medidas cautelares estabelecidas pelo juízo, não passando de fake news às fotografias publicadas nas redes sociais, o que poderá ser comprovado com uma singela apuração junto ao Instagram, sendo certo que o perfil é do Estado de São Paulo. No mais, aguarda a abertura de prazo para se manifestar a respeito do recurso apresentado pelo MP”.

A postagem foi apagada do Instagram e a autoria, assumida pela estudante paulista Nicole Nascimento Cruz, de 19 anos.

Ela alegou à Justiça que criou o perfil no final de abril de 2021, dias após a prisão de Monique e de Dr. Jairinho, para demonstrar apoio à Monique Medeiros. 

Veja também:
Caso Henry: mãe do menino tirou selfie e pediu pizza na hora de depor

O caso Henry Borel

O país acompanhou o caso e as investigações da Polícia Civil do Rio de Janeiro sobre a morte de Henry Borel na madrugada do dia 8 de março de 2021.

O inquérito apontou denúncias por homicídio duplamente qualificado: com emprego de tortura e impossibilidade de defesa da vítima (no caso de Jairinho, doloso; já Monique, culposo).

Laudos do Instituto Médico Legal, divulgados em 12 de abril ano ano passado, descartaram a versão original contada por Monique e Jairo à polícia, de que o óbito teria sido causado após o garoto cair da cama.

O motivo? No corpo de Henry tinha 23 lesões que não foram consideradas compatíveis com uma queda da cama.

Jairinho e Monique estão presos desde o dia 8 de abril. Os mandados foram expedidos pelo 2º Tribunal do Júri.

Veja também:
Mãe de Isabella Nardoni se solidariza com pai de Henry por similaridade dos casos

Monique foi para prisão domiciliar na última semana, conforme informado acima. Mas o Ministério Público pede que ela volte à prisão após descumprimento de uma das medidas cautelares impostas pela juíza do caso.

Em março de 2022, a Justiça do Rio de Janeiro negou novo pedido de liberdade de Jairinho, e ele segue preso.  

Veja fotos de Monique e Dr. Jairinho com o menino Henry Borel:

Henry - Monique e Jairinho elevador
Fotos: Reprodução

Detentas mudam versão sobre ‘atos libidinosos’ de Monique Medeiros na cadeia

Recomendamos para você

Deixe seu comentário

Alunos - escola ansiedade

Crise de ansiedade coletiva atinge 26 alunos em escola pública

Rainha Elizabeth II

Gafe! Folha de S. Paulo ‘mata’ Rainha Elizabeth II antes da hora e vira chacota na web