in ,

Mulher que pagava tatuagens com sexo rouba equipamentos e agride tatuador

Situação aconteceu em Praia Grande (SP); jovem acusa tatuador de filmar relações sem consentimento dela

Até a criminalidade no Brasil parece ser mais curiosa do que em outros países do mundo, não é mesmo? Um novo caso que está ganhando visibilidade na mídia chama a atenção por seus detalhes inusitados: uma mulher, que costumava pagar tatuagens com sexo, se revoltou contra o tatuador e supostamente roubou seus equipamentos após agredi-lo.

Tudo começou quando o profissional registrou o Boletim de Ocorrência em uma delegacia da cidade de Praia Grande, estado de São Paulo. No depoimento inicial, ele afirmou que duas mulheres desconhecidas chegaram no estúdio, o ameaçaram com uma faca e levaram seus equipamentos – incluindo um telefone celular, cartão de memória, notebook, par de tênis e duas máquinas de tatuar.

Uma jovem de 18 anos e uma mulher de 30 foram indiciadas pela Polícia Civil, mas a história começou a ganhar novas nuances. Conforme a investigação andou, o tatuador mudou o depoimento e admitiu que conhecia uma delas.

Os dois tinham um acordo de permuta pra lá de incomum. Há cerca de 3 meses, o profissional realizava tatuagens na jovem, que pagava com sexo. Os encontros aconteciam no próprio estúdio. As informações são do portal ‘G1’.

Veja também:
Lembra dele? Rapaz que teve a testa tatuada em 2017 é condenado por roubo

O outro lado

Após serem indiciadas, as mulheres apresentaram sua própria versão da história. Uma delas relatou que foi ao estúdio no último dia 23 de setembro para mais uma sessão de tatuagem acompanhada de uma amiga e de sua irmã. Por conhecerem o acordo prévio, as duas ficaram do lado de fora.

A jovem, no entanto, percebeu que o tatuador havia instalado câmeras no local e que, provavelmente, estaria tentando gravar os momentos de intimidade sexual que os dois teriam em seguida.

A mulher revela que se indignou contra ele e que o atacou fisicamente, além de admitir que pegou o notebook, o telefone celular, o cartão de memória e as câmeras, com medo de que suas imagens íntimas acabassem na internet.

Ela reforça que não praticou um assalto e que jamais portou uma faca. Além disso, alega que não levou equipamentos de tatuagem e tênis, rebatendo as acusações contra o tatuador.

Veja também:
SBT terá que indenizar cadeirante em R$ 30 mil por conduta discriminatória

“Primeiro ele fez uma falsa acusação de crime, porque quis se resguardar da acusação pelas filmagens. Depois, ele quis se vingar dela, porque ela levou o celular e o notebook, além das agressões que sofreu”, explicaram os advogados de defesa da jovem em conversa com o ‘G1’.

Ao chegar em casa, a mulher ainda investigou os eletrônicos e descobriu que o profissional já havia gravado as outras vezes em que eles transaram. Além disso, havia imagens de sexo com outras mulheres. Ela se defende dizendo que destruiu os aparelhos por medo de que as imagens caíssem na internet.

O tatuador admite o porte das câmeras e alega que as utilizava para a segurança do estúdio. Por não terem apresentado as filmagens, as mulheres foram indiciadas pelo crime de roubo.

Mulher cobre tatuagem de órgão íntimo masculino por não conseguir emprego

Comente com o Facebook
ciclista

Ciclista que iria pedalar 25 mil km desiste e volta para reatar casamento