in ,

Suruba papal: padre é preso por desviar fortuna da igreja para gastar em orgias

Francesco Spagnesi usava o dinheiro em festas regadas à drogas, prostituição e muita libertinagem

Fotos: Reprodução

Um padre italiano de 40 anos chamado Francesco Spagnesi foi preso por desviar algo em torno de R$ 620 mil dos fundos da Igreja Católica para gastar em festas particulares regadas a álcool, drogas e prostituição – que aconteceram às escondidas nos últimos 2 anos.

  • Se não gostar da Alexa, a Amazon devolve seu dinheiro! Experimente por 30 dias de controle por voz total em sua casa inteligente. Clique aqui e garanta.

A história chocou a comuna de Prato, onde fica a paróquia em que Francesco era líder religioso. A cidade fica localizada próximo a Florença – a 290 km de Roma, capital da Itália.

Veja também:
Em áudio, proprietária de casa alugada reclama de 'suruba' praticada pelo locatário

Segundo informações do ‘The Times’, o padre Francesco Spagnesi dividia apartamento com um traficante de drogas e os dois faziam festas semanais com a presença de uma terceira pessoa, sempre encontrada através de sites de encontros destinados ao público gay.

Entretanto, ocasionalmente, organizavam festas com grupos maiores, chegando a ter até 30 participantes. No popular: uma bela e louca suruba!

A polícia começou a investigar após o colega do padre importar um litro de GHB (ácido gama-hidroxibutírico) da Holanda.

Trata-se de uma substância conhecida como ‘droga de estupro’, que comumente é usada para incapacitar vítimas de agressão sexual. A polícia encontrou garrafas adaptadas que funcionavam como cachimbos de crack espalhadas pelo apartamento do pároco.

Nos últimos meses, um contador da Igreja descobriu o roubo de R$ 620 mil e interrompeu o acesso do padre ao dinheiro.

Padre roubava da igreja para bancar as surubas

Mesmo assim, Francesco Spagnesi não parou, mas encontrou outros meios de roubar dinheiro doado à paróquia para continuar promovendo orgias paralelamente ao seu ministério.

Veja também:
Bruno Gagliasso relembra história do 'Surubão de Noronha' e se diverte

O padre começou a desviar dinheiro doado para famílias de baixa renda da comunidade local e conseguiu arrecadar muito dessa forma também. Segundo os investigadores, algumas pessoas chegaram a fazer doações individuais de até R$ 9,3 mil reais.

Questionado sobre o destino do dinheiro, o padre Francesco Spagnesi alegou que havia sido doado para famílias necessitadas. Depois, acabou admitindo que é dependente químico.

Atualmente, ele se encontra em prisão domiciliar e o advogado do sacerdote católico disse ao ‘The Times’ que seu cliente confessou o fornecimento de drogas nas festas e que vai admitir publicamente ter roubado fundos da igreja.

Ao ficarem sabendo da polêmica, membros da paróquia deram início a uma ação legal para tentar ter seu dinheiro de volta. O padre Francesco foi ordenado em 2007 e nomeado pároco em 2009.

Após a prisão, o bispo da comuna de Prato já nomeou outra pessoa para administrar a paróquia e auxiliar os fiéis a lidarem com o choque das denúncias e a decepção com o padre Francesco Spagnesi, em quem confiavam.

LEIA TAMBÉM: A história do papa que escreveu um livro erótico no século 15

  • Se não gostar da Alexa, a Amazon devolve seu dinheiro! Experimente por 30 dias de controle por voz total em sua casa inteligente. Clique aqui e garanta.

Durante missa, padre chama repórter da Globo de ‘viadinho’ e ele rebate

Recomendamos para você

Deixe seu comentário

suzane A menina que matou os pais

Após tantos atrasos, filmes sobre Suzane Von Richthofen são lançados no streaming

larissa manoela

Sempre zoada por ser ‘testuda’, Larissa Manoela estampa comemoração na testa