in ,

Piloto é resgatado após sobreviver a 36 dias sozinho na floresta amazônica

Após pouso forçado, Antonio Sena se emociona ao contar o que precisou fazer para sobreviver

Foto: reprodução

Uma história impressionante de superação aconteceu com o piloto de avião de 36 anos, Antonio Sena. No sábado (6), após 36 dias desaparecido no meio da floresta amazônica, ele foi resgatado com saúde e reencontrou sua família.

Assim que o desaparecimento de Antonio foi confirmado, a Força Aérea Brasileira (FAB) iniciou as buscas, que duraram cinco dias e foram encerradas por não encontrarem nenhum vestígio do avião ou do piloto. Contudo, a família dele continuou procurando e ofereceu recompensa para quem o localizasse.

Segundo Antonio, o que o motivou a lutar pela sobrevivência foi o amor e a saudade da família.

“Posso dizer que a única coisa que me manteve forte para sair daquela situação foi o amor que eu tenho pela minha família e a vontade de ver meus irmãos, meus pais. Se fosse para resumir essa história, eu diria que é uma história de amor e fé”. 

No dia 28 de janeiro, Toninho, como é chamado pelos amigos próximos, levantou voo sozinho de Alenquer – região oeste do Pará – com destino a uma região de garimpo no município de Almeirim.

Tudo ia bem, até que uma pane no avião o levou a ter que fazer um pouso forçado no meio da mata. O piloto estava voando baixo em uma região com serras de 2 mil metros de altura. Ele, então, conseguiu pousar em um vale no meio de duas serras.

Em entrevista ao ‘Fantástico’, da TV Globo, Antonio falou que a primeira coisa que ele fez ao pousar foi pegar sua mochila, um saco de pão e tudo que, no momento, ele acreditou ser útil para ajudá-lo a sobreviver sozinho na mata. Se distanciou da aeronave que logo pegou fogo.

Veja também:
Jornalista confunde nome do ator Lázaro Ramos com assassino procurado

Antonio contou que caminhava na mata durante boa parte do dia na esperança de encontrar ajuda. “As minhas prioridades sempre foram buscar água e tentar buscar alimento, seja ele qual fosse”, disse.

Um homem saudável com boa forma, quando foi encontrado, Antonio havia perdido 25 quilos e estava com o cabelo e a barba enormes – marcas das dificuldades que enfrentou.

Ele conta que durante todo esse tempo ele se alimentou basicamente de ovos de aves e frutas que encontrava na floresta.

Na sexta-feira (5), em uma de suas caminhadas, Antonio encontrou coletores de castanha e conseguiu pedir ajuda! 

“Já eram entre 15h30 e 16h e, caminhando no meio da mata, eu vi uma coisa branca. Quando tirei a lona, vi um paneiro com castanha e as ferramentas pra abrir ouriço. Fui procurando a trilha [dos coletores]. Quando encontrei, me apresentei”, contou.

Clique aqui e confira a entrevista completa do ‘Fantástico’ com o piloto sobrevivente.

Veja uma foto de Antonio recebendo atendimento médico após ser resgatado:

Foto: Arquivo Pessoal
Foto: Arquivo Pessoal

Milagre: sobrevivente do voo da Chapecoense sofre outro acidente e sobrevive

 

Comente com o Facebook
cárcere privado

Em cárcere privado, mulher consegue ajuda ao entregar bilhete no banco

Foto: reprodução / Instagram

Formanda usa uniforme de faxineira da mãe durante colação de grau