in ,

Funcionário do Carrefour morre trabalhando e corpo é escondido para manter loja aberta

Pessoas criticaram a atitude da rede e até se lembraram do caso do cachorro morto por um segurança

A morte de um representante de vendas dentro de uma unidade do supermercado Carrefour na cidade de Recife (PE) revoltou muitos internautas. O motivo é que o estabelecimento cobriu o corpo do homem com guarda-sóis e tapumes e continuou funcionando normalmente.

O caso ocorreu na sexta-feira passada (14), mas se tornou público a partir da terça-feira (18). Para o portal ‘G1’, um representante do Carrefour identificou a vítima como Moisés Santos e afirmou que ele teve um infarto dentro do supermercado.

Ainda segundo o representante da rede, o corpo de Moisés ficou no local das 7h30 até 11h e que a loja ficou aguardando a chegada do Instituto Médico Legal (IML).

O local em que Moisés faleceu também foi cercado com fitas para evitar que pessoas se aproximassem.

O caso gerou a revolta de muitos internautas, que criticaram o Carrefour e até pediram um boicote contra a rede de supermercados. Confira:

Alguns internautas também lembraram o caso do cachorro que foi morto em uma unidade do Carrefour em Osasco há dois anos.

Veja também:
Afinal, Sandra Annenberg era uma das passarinhas do Castelo Rá-Tim-Bum?

Por conta da repercussão negativa, o Carrefour respondeu alguns internautas. A rede disse que lamenta o ocorrido, está revisando seus protocolos para casos semelhantes e que está prestando assistência para a família de Moisés.

“O inesperado falecimento do Sr. Moisés Santos, vítima de um infarto, foi muito triste para nós do Carrefour. Sentimos muito e, por conta do ocorrido, revisitamos os protocolos para implementar a obrigatoriedade de fechamento das lojas para fatalidades como essa. […] Seguimos à disposição para apoiar a família do Sr. Moisés”, afirmou a rede.

Comente com o Facebook
rafael miguel

Suspeito de ajudar assassino de Rafael Miguel na fuga concede entrevista

gato

Vídeo: gato cai de prédio e acerta idoso na cabeça, deixando-o desacordado