in ,

Após 26 anos de buscas, pai encontra assassino da própria filha sozinho

O condenado pelo crime, que aconteceu na Colômbia, foi encontrado levando uma vida normal no Brasil

Fotos: Reprodução/Redes Sociais

Um caso impressionante aconteceu recentemente e está dando o que falar. Um homem de 79 anos passou a vida procurando e finalmente encontrou o assassino de sua filha, após mais de duas décadas de buscas – totalmente sozinho.

Essa história começou em 1994, quando a jovem colombiana de 18 anos, Nancy Mariana, saiu para jantar com o namorado, Jaime Saade, e nunca mais voltou. Segundo a polícia, Nancy foi estuprada e assassinada pelo rapaz na cidade de Barranquilla, na Colômbia.

Veja também:
Assassino de Daniella Perez, Guilherme de Pádua lança canal no YouTube

A polícia do país vizinho investigou o crime, realizou perícia no corpo da jovem e concluiu que ela realmente foi morta pelo então namorado. Em 1996, Jaime Saade foi condenado a 27 anos de prisão em regime fechado pelos crimes de estupro e homicídio.

Ele chegou a ser preso, entretanto, um belo dia desapareceu. Sem deixar rastros de onde estaria se escondendo, o assassino se tornou procurado até da Interpol, Organização Internacional de Polícia Criminal mundialmente conhecida.

Muito tempo se passou e ele nunca foi encontrado – até agora.

Desde 1996 o pai de Nancy, o oficial aposentado da Marinha, Martín Mestre, procura pelo paradeiro do assassino de sua filha. Ele nunca se conformou com a fuga do homem que tirou a vida de uma das pessoas que ele mais amava.

Assassino é encontrado vivendo vida normal

Em 2019, mais de 20 anos depois do assassinato, Martín Mestre finalmente descobriu onde Jaime Saade estava. Ele fez um curso de investigação e criou vários perfis falsos nas redes sociais para tentar rastrear o assassino.

Veja também:
51 anos de Daniella Perez: a história do assassinato que chocou o país em 1992

Após muito tempo, o plano deu certo e Jaime foi encontrado morando em Belo Horizonte, capital do estado brasileiro de Minas Gerais. Martín acompanhava na internet algumas pessoas que ele suspeitava terem relação com Saade.

“Desde aquele dia vivo em função de ele ser preso. Não é uma obsessão, é um dever como pai“, disse Mestre em entrevista ao jornal ‘El País’.

O assassino de Nancy fugiu da cadeia na Colômbia, fez documentos falsos e veio para o Brasil, onde se casou, teve filhos e construiu uma vida completamente nova. O nome falso escolhido pro Saade foi Henrique dos Santos Abdala.

Belo Horizonte
Foto: Divulgação/Prefeitura de Belo Horizonte

Criminoso pode sair impune pelo assassinato

O assassino foi reconhecido pela Interpol e preso. Entretanto, se engana quem pensa que, ao encontrar seu paradeiro, ele logo voltou para trás das grades e o pai da moça conseguiu fazer justiça.

Essa situação envolve as leis colombianas e brasileiras, que são completamente diferentes.

Uma boa notícia é que, em julho de 2023, o tempo da sentença de Saade se completaria e, se ele não fosse localizado, ficaria livre para sempre das acusações. O criminoso foi encontrado antes, portanto, poderia ser preso ainda.

Veja também:
Cirurgião plástico é assassinado a tiros ao chegar em clínica no Rio de Janeiro

Contudo, para ser condenado ele precisa ser extraditado para a Colômbia, seu país de origem. Um julgamento sobre a extradição de Jaime Saade foi realizado no Brasil e houve empate no Supremo Tribunal Federal (STF) – o acusado foi mantido no Brasil.

Os advogados da família de Nancy trabalham para que o julgamento seja repetido. Porém, a questão fica ainda mais complexa e eles têm enfrentado uma grande dificuldade: no Brasil, as ações prescrevem em 20 anos.

Portanto, como se passaram 26 anos, aos olhos da justiça brasileira Saade não pode mais cumprir pena aqui.

“A sensação que tive é que julgaram o destino do assassino da minha filha como se fosse um jogo de futebol. Chorei muito, chorei muito por esse caso, mas não me canso, nunca vou desistir. Vamos trazê-lo para a Colômbia e ele vai começar a pagar“, lamentou o pai.

Versão de Jaime Saade sobre a morte

Após o crime, quando ainda estava preso, Jaime Saade contou uma versão bem diferente da noite em que Nancy Mariana morreu.

Fui ao banheiro e depois de alguns minutos ouvi um tiro. Saí imediatamente e a vi no chão, com muito sangue e um revólver ao lado, disse ele na cadeia anos atrás, sugerindo que a jovem teria se suicidado.

Veja também:
Estudante de medicina faz ritual macabro, mata os pais e comete suicídio no ES

De acordo com a sentença da justiça colombiana, Nancy não se matou. A jovem de 18 anos recebeu golpes nos braços, nas coxas e na região da vagina. A perícia concluiu também que Nancy foi estuprada e tentou se defender do agressor mas, sem sucesso, acabou morrendo.

Após o assassino de Nancy ter sido encontrado no Brasil, mais de 20 anos após o crime, os advogados afirmaram à imprensa que ele está bemvivendo em Belo Horizonte, onde é advogado e está seguindo a vida“.

Ainda ao ‘El País’, os advogados afirmaram que Jaime Saade permanece aguardando julgamento, mas não pelo assassinato de Nancy – pela entrada ilegal no Brasil. Ele não espera receber uma pena dura por isso.

“No máximo o pagamento de uma multa“, disse o advogado Fernando Gomes Oliveira. O caso segue sem previsão de conclusão, gerando ainda mais angústia no pai da jovem assassinada em 1994.

Policial é encontrado morto após tentar assassinar ex-mulher em motel

Recomendamos para você

Deixe seu comentário

Conta bar calote

Homem finge ser jogador de futebol e dá calote de mais de R$ 4 mil em bar

Armando Babaioff

Armando Babaioff sofre tentativa de golpe e responde bandido com foto picante