in , ,

Jovens humilham funcionário de lanchonete, publicam na web e geram polêmica

Garotas foram acusadas de racismo e se tornaram um dos assuntos mais comentados das redes sociais

Um vídeo bizarro e bastante triste caiu na internet, viralizou e se tornou um dos assuntos mais comentados das redes sociais na manhã desta terça-feira (2). Na filmagem, divulgada através da função Stories do Instagram, duas garotas humilham um funcionário da limpeza de uma rede de lanchonetes.

O homem, negro, fazia seu trabalho enquanto uma das jovens, identificada como Júlia Rodrigues filmava. Ela e uma amiga gritam expressões como “isso mesmo, limpa pra eu ver”, “lambe o chão”, entre outros.

Veja:

Mais tarde, Júlia volta a falar sobre o assunto e afirma que “não era porque o menino era preto não, porque ainda tem pretos bonitinhos, mas ele é um preto feio e horroroso”. Ela ainda fez menção ao órgão sexual do rapaz e disse que ela e a amiga fizeram um “auê no trabalho do garoto”.

A repercussão nas redes sociais foi quase instantânea e internautas exigem que as jovens sejam punidas pelo crime de racismo. No entanto, uma advogada esclarece que o vídeo configura crime de injúria racial – não de racismo.

“As expressões utilizadas pela autora ofendem a uma pessoa determinada, na sua dignidade e decoro, utilizando elementos referentes à raça e cor. O crime é de ação penal pública condicionada, o que significa queaquele que for ofendido deve manifestar seu desejo de ver o autor do crime processado criminalmente”, explicou Fernanda Freixinho.

Pedido de desculpas

Com tamanha repercussão, Julia acabou excluindo sua conta do Instagram e sumiu da internet. A amiga dela, no entanto, que foi identificada como Thaís Araújo, usou sua conta na rede social para se posicionar sobre a polêmica.

Ela afirma que foi namorada do rapaz em questão e que tudo não passou de uma brincadeira. Ela garante que não é racista e que pediu desculpas para a vítima.

“Eu namorei com esse rapaz durante seis anos da minha vida. São seis anos com ele, não foram quatro dias, não foi uma semana. Eu conheço ele há oito anos. Não é qualquer coisinha não. Ele sabe que não sou racista. Ele está ciente disso. O mesmo sabe que eu sempre lutei contra isso. Qualquer coisinha eu já fazia um ‘auê’. Eu realmente tomei decisões naquele dia que não foram legais, atitudes horríveis. Por isso estou pedindo desculpas a ele, estou pedindo desculpas para quem se ofendeu, para quem está tomando as dores”, disse.

“E não adianta falar agora que não adianta mais. Adianta sim. Quando você se arrepende do que fez, você é perdoado. Eu estou arrependida e quero que isso acabe. Não me mandem mais mensagens. Eu não vou acabar com as minhas redes sociais, eu não fui racista”, comentou.

Fake News e explicação da empresa

Em nota, o Bob’s se manifestou oficialmente e ressaltou que o funcionário não foi demitido, ao contrário de falsas informações que circularam na web.

Além disso, afirmou que “repudia qualquer tipo de discriminação ou assédio e lamenta que cenas como essa, até hoje, ainda sejam vistas nas relações entre pessoas. O funcionário segue trabalhando normalmente na empresa, sendo inverídicas as declarações de desligamento dele. Para preservar sua privacidade, o Bob’s não divulga o local do ocorrido, mas está à disposição para qualquer esclarecimento na apuração dos fatos”.

Confira mais reações dos usuários do Twitter sobre o assunto:

Comente com o Facebook
feedclub racing

Torcedor argentino desenterra crânio do avô para comemorar título; veja vídeo

feedclub radio assalto

Rádio é assaltada em São Paulo e crime é transmitido ao vivo; veja vídeo