in ,

Matheus Mazzafera acusa YouTube de homofobia velada: ‘menos apoio’

Youtuber alega que a plataforma de vídeos dá tratamentos diferenciados para os criadores de conteúdo heterossexuais; administração do site divulgou nota para se defender

Matheus Mazzafera, conhecido por arrancar revelações surpreendentes das celebridades, é um dos youtubers mais famosos do Brasil na atualidade. Seu canal bateu recentemente a impressionante marca de 5 milhões de inscritos e 650 milhões de visualizações. No entanto, ele acredita que nem tudo sejam flores e acusa o YouTube de preconceito contra ele.

Em conversa com o colunista Leo Dias, do portal ‘Uol’, Matheus Mazzafera decidiu botar a boca no trombone e fez sérias acusações contra a plataforma de vídeos, que ele acreditar dar tratamentos diferenciados para os criadores de conteúdo heterossexuais.

“Sofro homofobia velada e, às vezes, escancarada pela plataforma do YouTube. Não recebo deles o apoio que meus amigos héteros recebem. Meus vídeos monetizam menos e tenho problemas constantes quando tem outro gay, além de mim, no vídeo”, começou o influenciador.

O influenciador completou, demonstrando indignação: “Teve o maior evento do YouTube no Brasil, o ‘Brandcast’. Não teve um criador gay. Uma vergonha! Em novembro tem outro evento importante em Los Angeles. Vamos ver… Não vou mais me calar, não vou mais ‘passar pano’. No mês gay, fazem campanha, se dizem gay friendly, mas há uma diferenciação… Queremos igualdade”.

Por fim, ele disse que deseja lutar pelos direitos LGBTQ+. “Já passei muito pano para homofobia e não vou mais tolerar isso, principalmente para os mais jovens terem uma vida e um futuro melhor. Mesmo sem a ajuda do YouTube, meu canal realiza uma das maiores inclusões sociais do país. Levo diariamente gays, travestis, negros, gordos e todo tipo de pessoa à casa de milhões de famílias brasileiras , com muito orgulho. Durmo feliz e tranquilo”, afirmou.

Resposta do YouTube a Matheus Mazzafera

O colunista Leo Dias entrou em contato com a plataforma de vídeos para comentar as acusações que recebeu de Matheus Mazzafera. Em nota enviada, a empresa disse que é “radicalmente contra qualquer tipo de preconceito” e esclarece que a plataforma “não faz nenhum tipo de censura em conteúdo ou sua monetização”.

Além disso, a empresa afirma que “tem orgulho de apoiar publicamente a comunidade LGBTQIA+, inclusive em eventos como a transmissão ao vivo da Parada LGBTQIA+, que foi destaque no evento Brandcast na noite de terça (24)”.

Ainda de acordo com a nota, o YouTube também “procura representar toda a diversidade da comunidade, não só nos convidados e ações, mas também na cobertura do tapete vermelho”. A plataforma também deixa claro que sua missão é “dar a todos uma voz e revelar o mundo, acreditando que todos têm o direito de expressar opiniões e que o mundo se torna melhor quando as pessoas ouvem, compartilham e se unem por meio de suas histórias”.

Comente com o Facebook
ptinder

PTinder: advogada cria página para romance entre pessoas de esquerda

felipe neto

Felipe Neto pensa em sair do país por causa do governo: ‘não tá dando’