in ,

Ex-namorada de Ayrton Senna lança livro sobre ele e inicia batalha judicial

Adriane Yamin entrou na Justiça contra Malu Magalhães, co-autora da obra, por quebra de sigilo contratual

Fotos: Reprodução/Instagram

A empresária Adriane Yamin namorou Ayrton Senna por quatro anos e a experiência vivida com o ídolo a motivou a escrever um livro lançado recentemente sob o título ‘Minha Garota’. Trata-se de uma biografia sobre o relacionamento com o piloto, mas a produção já é o centro de uma batalha na Justiça.

Adriane entrará na justiça contra a escritora Malu Magalhães [o nome é mera coincidência e não tem nenhum tipo de relação com a cantora Mallu Magalhães], ex-colaboradora da obra, por calúnia, difamação e quebra de sigilo contratual.

Veja também:
Datena chega em acordo e encerra processo judicial após insultar Xuxa na web

Segundo informou o colunista Ricardo Feltrin, do portal ‘Uol’, Malu Magalhães iniciou o imbróglio ao entrar com uma ação exigindo reconhecimento de co-autoria da obra, além de indenização por danos morais e de imagem.

Adriane teria rescindido o contrato de co-autoria com a escritora por estar insatisfeita com os serviços prestados. Elas tinham acordado que Malu receberia R$ 25 mil pelo trabalho. A ex de Senna, supostamente, teria pago apenas R$ 10 mil.

Para piorar, Malu foi surpreendida ao ver o livro lançado – como o contrato foi rescindido, ela acreditava que o projeto teria sido completamente abortado.

Malu garante que comprova sua participação na criação de trechos do livro. Um perito judicial oficial deverá ser indicado pela Justiça para fazer uma auditoria e comprovar a reclamação, assim como nos casos de plágio.

O advogado da escritora, Paulo Tarso Vasconcellos, disse que não é lícito que se quebre um contrato, mas, ainda assim, utilize o serviço prestado.

Veja também:
Eliana é processada por babá e pode ter que pagar indenização de R$ 100 mil

Adriane Yamin responderá com outra ação

Em resposta, Adriane diz que Malu terá de responder judicialmente pela divulgação de notícias falsas. “Posso garantir que essas ‘fake news’ que ela está lançando são crimes e ela vai ter que responder judicialmente, civilmente e criminalmente perante a Justiça”, disse ela em entrevista ao portal ‘Uol’.

“O meu assunto com ela é judicial. Agora ela vai ter que provar todas as bobagens que alegou. Ela cometeu crimes graves e vai responder por eles”, completou.

Adriane confirmou, de fato, que a escritora chegou a ser contratada, mas teve o vínculo rescindido pela insatisfação com o serviço prestado. Adriane garante que Malu recebeu pelo trabalho que entregou e revela que que contratou outra colaboradora para concluir o livro.

“O livro foi efetivamente todo escrito por Adriane Yamin em colaboração da co-autora e Presidente da Academia Saltense de Letras, Anna Maria Osta. A jornalista reclamante Malu, que poderia ter entendido que era credora de algum valor, contudo, deveria ter procurado os caminhos legais e não realizar uma campanha pública difamatória contra Adriane Yamin”, garantiram os advogados de defesa de Adriane.

‘Minha Garota’ foi lançado de maneira independente, ou seja, sem editora.

Veja também:
Resolvido! Justiça decide que viúva de Gugu receba pensão mensal

Comente com o Facebook
corona coronavírus

Lembra dela? Por causa do coronavírus, brasileiros ‘ressuscitam’ cantora Corona