in ,

Mulher que atacou filhos de Giovanna Ewbank tem hábito de ofender brasileiros

Conhecida como Kikas, Maria Adelia insulta imigrantes com bastante frequência em Portugal

Fotos: Reprodução

Um dos assuntos mais comentados nos últimos dias foi o ataque racista que uma mulher portuguesa cometeu contra os filhos de Giovanna Ewbank e Bruno Gagliasso em uma praia em Portugal no último sábado (30).

  • Dia dos Pais 2022: presenteie aquele que te inspira! Confira esse guia de presentes para encontrar o presente ideal e o melhor: com ofertas que chegam a 52% de desconto! Clique aqui para conferir.

O fato repercutiu no Brasil, e no mundo, e alguns brasileiros quem vivem em Portugal relataram já ter presenciado a mesma mulher cometendo atos discriminatórios contra estrangeiros no país.

Conhecida pelo apelido de Kikas, a mulher racista que chamou Títi e Bless de “pretos imundos” e os mandou “de volta para a África” é Maria Adelia Coutinho Freire de Andrade de Barros.

Veja também:
Giovanna Ewbank admite que bateu em mulher racista que atacou seus filhos

Moradora da cidade de Cascais, a 40 km de Lisboa, ela costuma frequentar restaurantes e outros estabelecimentos comerciais na região, e ofender imigrantes brasileiros – e de outras localidades.

Leo Dias, do jornal ‘Metrópoles’, divulgou alguns relatos de imigrantes brasileiros contando sobre a atos discriminatórios praticados pela mesma mulher, em diferentes ocasiões.

A brasileira que reside em Portugal, Lahna Lopes, contou que Kikas é conhecida por propagar discurso de ódio contra brasileiros. Ela sempre está presente em bares e restaurantes arrumando confusão com estrangeiros.

“Ela já é conhecida por ir a restaurantes e bares para fazer esses discursos de ódio e, como a própria Giovanna (Ewbank) falou, essa nojenta já agrediu várias pessoas, verbal e fisicamente“, disse.

Lahna citou até um vídeo em que Kikas aparece a ofendendo dizendo: Vão se embora para o Brasil, car*lho. Os portugueses não os aguentam mais. Já não os aguentavam antes (…) Saiam do nosso país, caralho. Brasileiros de merda, saiam de Portugal“. 

Ainda na filmagem, Maria Adelia aparece atirando plantas no chão e ofendendo outras pessoas no local. Questionada sobre o prejuízo que estava causando, ela diz que pagaria pelos danos e segue insultando os brasileiros.

Outra brasileira que vive em Portugal, Grazi Ferreira, também relatou a Leo Dias sobre um dia em que Kikas esteve no restaurante em que ela trabalha.

A mulher racista sentou e começou a deferir xingamentos contra algumas senhoras do país africano Cabo Verde, que estavam no estabelecimento.

“Essa senhora esteve lá a jantar e começou a ofender umas senhoras cabo-verdianas do nada, de graça; quis até agredi-las, relatou Grazi.

Nessa ocasião, chegaram a chamar a polícia, mas não houve registro de ocorrência. A dona do restaurante proibiu a entrada de Maria Adelia em seu estabelecimento desde então.

Karim Sarria também contou que seu marido participou de uma audiência em que a cidadã portuguesa – Maria Adelia era acusada.

“Infelizmente ela já aprontou muito aqui em Cascais. Meu marido até já participou de uma audiência na qual ela era acusada, mas até hoje nada aconteceu. Espero que, desta vez, haja uma punição à altura de seus atos violentos e maldosos“, disse.

Em diferentes ocasiões o fim é sempre o mesmo. Ela até chega a ser levada pela polícia, mas nada acontece depois.

Após os ataques de sábado (30), a Kikas foi levada pela polícia para uma delegacia da Guarda Nacional Republicana, localizada próximo à praia onde eles estavam. Lá ela foi identificada, prestou depoimento e depois foi liberada.

Agora Bruno e Giovanna têm até 6 meses para registrar uma queixa formal sobre a violência racial sofrida por seus filhos em Portugal. A mulher pode ser condenada e receber uma pena de seis meses a cinco anos de prisão.

Presidente comenta

Diante da repercussão do caso, Marcelo Rebelo de Sousapresidente de Portugal – abominou atos de xenofobia e preconceito no país.

“Todo ato de racismo ou xenofobia é condenável e intolerável. Isso é o básico em uma democracia. É inadmissível”, disse ele em entrevista ao jornal ‘O Globo’. O presidente, porém, ressaltou que os portugueses no geral não são racistas.

“Racismo é um fenômeno que existe na sociedade portuguesa, não negamos isso; mas não é possível generalizar a todo português. Não pode ser generalizado, dizendo que todo português é racista ou que há uma campanha contra os brasileiros. Do contrário, não explicava a vinda de uma imensa comunidade brasileira. Ninguém é sadomasoquista. Se achassem que não se sentiam bem em Portugal, não viriam”, afirmou o chefe de estado.

Veja uma foto de Giovanna Ewbank e Bruno Gagliasso com os filhos:

Família Giovana Ewbank - Bruno Gagliasso
Foto: Reprodução/Instagram

Confira o momento em que Giovanna Ewbank enfrenta a mulher racista:

  • Dia dos Pais 2022: presenteie aquele que te inspira! Confira esse guia de presentes para encontrar o presente ideal e o melhor: com ofertas que chegam a 52% de desconto! Clique aqui para conferir.

Giovanna Ewbank admite que bateu em mulher racista que atacou seus filhos

Recomendamos para você

Deixe seu comentário

Bruno Krupp - estudante morto atropelado

Mãe que viu adolescente ser atropelado e morto está ‘em estado de choque’

Sofia Arruda - filho beijando

Atriz posta foto do filho de 3 anos beijando na boca e é detonada na web