in ,

Polícia Civil instaura inquérito para apurar casos de intolerância religiosa no ‘BBB 21’

Segundo denunciante, Karol Conká, Projota, Nego Di e Lumena ridicularizaram a Umbanda

Fotos: Reprodução/TV Globo

A Delegacia de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância (Decradi) do Rio de Janeiro instaurou um inquérito na quinta-feira (11) para apurar casos de intolerância religiosa no ‘BBB 21’, que teriam sido cometidos pelos participantes Projota, Karol Conká, Nego Di e Lumena.

De acordo com o portal ‘Uol’, a denúncia foi feita ao Ministério Público pelo deputado estadual Átila Nunes (MDB). Na segunda-feira (8), os quatro participantes relembraram uma conversa de Lumena com Lucas Penteado, que desistiu do programa há alguns dias.

Veja também:
Mãe de Arcrebiano passa mal ao ver Karol Conká próxima dele no 'BBB 21'

A conversa foi interpretada como uma forma de ironizar a Umbanda, religião de Lucas, pois os participantes fizeram trocadilhos com o nome do orixá Xangô, como “xangôzei” e “xangôzar.”

Assista:

“As referências extremamente ofensivas acompanhadas de chacotas dos quatro participantes a uma entidade das religiões de matrizes africanas estimulam o preconceito e os ataques à Umbanda e ao Candomblé. Dificilmente eles se refeririam dessa forma a Nossa Senhora ou à Biblia”, afirmou o deputado, em seu perfil no Instagram.

Na mesma postagem, Átila Nunes ainda se revoltou com o fato de Lumena ter participado da brincadeira, já que ela é seguidora do Candomblé, outra religião de matriz africana.

“Apesar de estarem ridicularizando uma religião de matriz africana, Lumena caiu na gargalhada e ainda lembrou uma conversa que teve com Lucas. ‘Eu xangozei. Eu estou pelo certo com meu orixá, você está pelo errado. Ele está te abandonando'”, afirmou o político.

Veja:

Polícia no ‘BBB 21’

Em comunicado, a Polícia Civil do Rio de Janeiro afirmou que irá solicitar imagens do ‘BBB 21’ para apurar se os quatro participantes cometeram mesmo o crime.

Não é de hoje que os mesmos quatro participantes vêm causando muita polêmica dentro e fora da casa mais vigiada do país. Karol Conká, por exemplo, já é considerada a grande vilã da edição, tendo tido ataques contra vários participantes e até mesmo foi acusada de xenofobia.

Veja também:
'BBB 21': Caio diz que colocou ovo fervente em boca de cão e Luisa Mell se manifesta

Projota, por sua vez, em uma conversa íntima com o diretor do programa no confessionário que acabou vazando pelos microfones, revelou que estava guardando uma faca para caso precisasse se defender de Lucas Penteado.

Nego Di será processado pela família do sambista Arlindo Cruz por um vídeo antigo que acabou surgindo na web. Na ocasião, ele fez piada sobre o estado de saúde do artista, que tenta se recuperar de um AVC sofrido em 2017.

Por um comportamento considerado agressivo e violento contra os colegas em discussões que ela mesma cria, a psicóloga Lumena é uma das personagens mais odiadas pelo público da atração.

Não é de hoje que a polícia acaba sendo obrigada a intervir dentro da casa do Big Brother Brasil.

Como já aconteceu em outras situações, caso as autoridades cheguem ao ponto de precisar intimar os participantes ainda confinados, eles correm o risco de serem expulsos do programa por violarem a regra explícita de proibição de qualquer contato externo.

Paula comparece à Delegacia e presta depoimento com duração de uma hora

Comente com o Facebook
karol conká

‘BBB 21’: Karol Conká vence prova do líder e público aponta indícios de manipulação

polemicas do carnaval

Confusão e samba no pé: relembre as maiores polêmicas do Carnaval brasileiro